Argentina – Viagem de Carro Sul Americana

postado em: VIAGEM | 0

Olá pessoal, lá no canal do youtube tem o primeiro vlog contando o nossa viagem de carro de Foz do Iguaçu até Salta na Argentina.

Para nossa viagem completa atravessamos 4 fronteiras na seguinte ordem:

BRASIL / Foz do Iguaçu – Argentina / Salta

Argentina / Jujuy – Chile / San Pedro do Atacama

Chile / San Pedro do Atacama – Bolívia / Uyuni

Bolívia / Uyuni – Argentina / Quebrada de Humauhaca

Argentina / Quebrada de Humauhaca – Paraguai / Assunción

Paraguai / Ciudad del Este  – BRASIL / Foz do Iguaçu

Aqui no blog vou colocar todas as informações do vídeo e alguns outros detalhes.

Nossos dogs Lua e Zeus ficaram em casa, e nossa super amiga Yara cuidou deles para nós – GRATIDÃO AMIGA, we love you.

DIA 1

Nossos amigos Camilla e Luiz acompanharam eu e o maridon Alexandre nessa viagem surreal e inesquecível.

A Cah é minha amiga desde o pré (comemoramos 24 anos de amizade, LOVE YOU) e o Luiz é amigo do Ale desde pequeninos também, uns 20 anos, e por conta deles que hoje eu e o ale estamos juntos, OOOOUNNN – risos.

Camilla e Luiz vieram de São Paulo + ou – 13 horas de viagem, 1051 km até Foz do Iguaçu/Paraná.

Eles saíram de noite as 23hrs de sexta feira 14/07 maaaas, como haviam trabalhado o dia todo pararam no caminho em Ourinhos/São Paulo para dormir e depois seguiram viagem.

Assim que eles chegaram fomos jantar e seguimos viagem sentido a fronteira do Brasil/Argentina.

Detalhes da caranga:

Carro: Punto / Fiat

Tanque de combustível: 60 litros

Andando com o carro na estrada/rodovia fez 17 km/litro (muito obrigada Fiat, risos).

NOTA: 10, sério não falhou, quebrou ou nos deu trabalho em nenhum momento, durante 12 dias de viagem, ou 14 deles, já que vieram de sampa.

Se você tiver um carro alto, ok, vai ser mais confortável e provavelmente você não irá hesitar em passar em alguns pontos.

Maaaaas, é possível viajar com um hatch? SIM, com toda certeza.

Na aduana Argentina para entrar você vai precisar do seu RG, sim RG, se você for apenas com a habilitação não conseguirá passar da cidade de Puerto Iguazú. Então, muito importante (NÃO ESQUEÇA O RG) ou você pode entrar com o passaporte que estará tudo certo.

De acordo com o site:

http://www.brasil.gov.br/turismo/2012/04/mercosul-com-rg

Moradores dos países que integram o Mercado Comum do Sul podem viajar sem passaporte, apenas com documentos de identificação.

Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai são os países fundadores do Mercosul e Chile, Colômbia, Equador, Peru e Venezuela integram o bloco como associados.

Em sua maioria apenas a Cédula de Identidade – RG e Passaporte são aceitos, para verificar os demais documentos só entrar no site citado acima.

Todo mundo estava com o documento OK, não revistaram o nosso carro e assim seguimos viagem.

Primeira abastecida para completar o tanque – R$ 106,00

Nós queríamos ter começado a viagem cedo pois queríamos ter parado em San Ignacio Miní – ruínas que fica localizado em Missiones / Argentina.

No mesmo caminho que estávamos seguindo, porém como eles dormiram e chegaram tarde não foi possível pois as ruínas fecham as 17h/18h. Fica a dica caso você vá pela manhã.

As ruínas são consideradas Patrimônio Mundial da Humanidade pela Unesco, e acredito eu pelas fotos, que vale a pena conhecer.

(bom, como acaba sendo perto de casa, não irá faltar oportunidade para conhecer).

Primeira parada foi no Jardin América – 213 km, programamos + ou – parar a cada 2 horas para esticar as pernas, trocar os motoristas, fazer pipi e comer algo.

Segunda parada foi em Ituzaingó – 391 km, onde encontramos uma máquina de água caliente, que foi maravilhoooosa, pois tínhamos levado chá. Durante nosso trajeto na Argentina fomos enchendo nosso squeeze todo o tempo, nos mantivemos quentinhos. =) Na máquina estava dizendo que cobrava, só que estava liberada.

Terceira parada San Luis del Palmar – 604 km.

Quarta parada Resistência – 639 km, paramos no posto Shell com loja de conveniência, foi o primeiro que resolvemos comprar um café e chipa.

Para quem não sabe a chipa parece muito com o pão de queijo Brasileiro (minha opinião) e é muito comum no Paraguai (culinária paraguai) e Argentina.

Quinta parada Los Frentones – 908 km, nesse percurso tivemos que desviar o caminho saindo da ruta 12 pois a ponte em corrientes estava em reforma, o que aumentou 60 km da nossa viagem. Porém, se você for provavelmente a ponte já estará ok e você não precisará sair da rota.

Sexta parada em Monte Quemado – 1.065 km, depois de quase 2 horas de zona rural o posto de gasolina estava lotado, imaginamos que deveria ser o único posto de gasolina próximo e foi isso mesmo, enfrentamos a fila e abastecemos.

De Monte Quemado até Taco Pozo a estrada era bem ruim, completamente emburacada e com muitos animas soltos o que faz com que você redobre a atenção e diminua bem a velocidade. Buracos enormes, achamos bem perigoso, pois se estivesse a noite provavelmente não veríamos com tanta facilidade, então ATENÇÃO REDOBRADA. Calcule um horário para passar nessa cidade com a luz do dia, facilitará demais.

Sétima parada Joaquín Víctor González – 1.227 km, paramos em um posto de gasolina, para variar – risos. Experimentamos dois itens comuns na culinária argentina, medialuna (para mim parece um croissant) e factura, bem gostosinhos, porém com glúten e lactose então intolerantes se programem bem pois se não será difícil – risos. Eu não sou intolerante mais optei por eliminar esses alimentos da minha rotina alimentar, no meu caso sinto sim as mudanças quando quebro a minha rotina, com dores de cabeça, enjoo e as vezes cólica, então estejam preparados.

Fizemos saquinhos de amendoim com frutas secas, sucrilhos orgânico, mais não teve jeito, depois de 10 horas estavamos enjoados, risos.

Última parada, chegamos em SALTA / Argentina, depois de 1.449 km, quase 19hrs dirigindo. Estávamos cansados porém muito felizes.

Total de pedágios: 5 – valor total: $ 105 pesos = R$ 21,00 (só aceitam pesos), cerca de $ 20 pesos cada pedágio

Total gasolina Foz até Salta – R$ 514,00 reais

Nos hospedamos no Hotel Shauard, Av. San Martín 982, um hotel bem gostosinho. Havíamos reservado 2 apartamentos duplos com cama de casal, e ao chegarmos não tinha disponível os dois, disseram que tentaram falar com a gente mais que só tinha número do Brasil e não conseguiram, aham, existe whatsapp e e-mail não recebi nenhum, mas ok, estávamos felizes por estarmos lá e não me importou muito, de verdade.

Dois apartamentos duplos – $ 84,00 doláres os dois ou R$ 285,60 reais

Inclui café da manhã

Os apartamentos eram confortáveis, camas boas, banheiro e chuveiro ótimo, e ar condicionado split, estava muitoooo frio, então foi essencial, pela manhã acordamos e estava desligado, então eles programam para desligar, ok, o apartamento se manteve quentinho.

Deixamos as coisas no quarto e fomos passear, chegamos no shopping e não havia casa de câmbio e por ser um Domingo estavam todas as casas de câmbio de rua fechadas. Lembre-se de levar dinheiro ou liberar sua tarjeta de crédito internacional (se você estiver disposto a pagar a taxa de iof de 6,38%).

DICA: trocamos o real em Foz do Iguaçu para pesos Argentinos, pagamos 19,20 então estava ótimo o câmbio e também levamos R$ 500,00 reais em dólar.

O Luiz e a Camilla não levaram dinheiro o que aconteceu: pagaram a taxa diversas vezes, não façam isso.

Tenham o cartão de crédito para possíveis emergências.

Durante toda a nossa viagem aceitavam dólar em qualquer lugar (o único local que não aceitou dólar foi o hotel em Salta) nos demais lugares todos aceitam e o câmbio no Brasil é muitoooo melhor. Então, na dúvida troquem tudo para dólar, muito mais fácil. Você até faz dinheiro na Bolívia por exemplo, se você tivesse tudo em dólar e trocasse você ganharia fácil 1 real a mais praticamente.

Vai viajar e tem muitos dólares? Pronto, faça dinheiro na sua viagem e quase duplique – REAAAAL.

Saímos do shopping e fomos conhecer o centro de Salta, na praça central, você irá encontrar comércios, museus, a catedral basílica (maravilhosa, veja no vlog lá no canal algumas imagens), restaurantes, etc.

Comemos uma pizza deliciosa no restaurante NEW TIME – Caseros 602, 4400 – O Luiz tomou uma cervejinha e a Camilla viciada em medialuna rs, e todos saímos felizes.

Logo em seguida subimos até o Mirante – Cerro San Bernardo, onde é possível ver a cidade toda de cima, coisa mais linda. Toda iluminada, parecia que estávamos no avião, vendo aquelas luizinhas sabe?! Mara, o frio? Sensação de -6 graus, congelante.

Saindo de lá dirigimos até o restaurante La Casona Del Molino – Luis Burela 1, 4400 -. O restaurante é muito conhecido pela sua tradicionalidade, bem cultural e folclórico. É dividido por salas, cada uma com uma cor/decoração diferente, e também há um espaço lá fora bem aconchegante (não ficamos lá fora porque estava muito frio).

Ponto negativo: não encontramos um menu vegetariano, então o jeito foi comer uma porção de fritas (diferente e bem deliciosa). O Luiz e a Camilla escolheram por um prato chamado Locro, com vários tipos de carnes e disseram que estava maravilhoso.

O mais comum em todos os restaurantes e durante toda a viagem foi o menu de carnes. Porém, para a nossa alegria, minha e do Ale, nos outros locais era muito comum o Menu Vegetariano, então comemos muito bem.

No restaurante tinham músicos e os clientes todos estavam a cantar, foi realmente muito bonito de ver.

Saímos do restaurante direto para o Hotel. O estacionamento fica na quadra de baixo e já estava incluso no valor da diária.

Ponto final do dia 1, dormir e descansar para o nosso segundo dia. =)

VEJA O VÍDEO COMPLETO CLICANDO AQUI!

Seguir jessicaoliv:

Últimos Posts de

Deixe uma resposta